Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Legislativas 2011

Legislativas 2011

05
Abr11

Sócrates e Cavaco

rgomes

Os resquícios da campanha eleitoral para as presidenciais acentuaram o mau estar entre os dois. Não apenas do ponto de vista político mas também pessoal.
Nesta pré campanha o PS tem andado com um discurso oscilante em relação ao PR. Uns criticaram asperamente Cavaco, outros dizem que o adversário político dos socialistas não é o PR.

Na entrevista à RTP, José Sócrates mostrou claramente que Cavaco Silva não fica de fora dos ataques que desencadeia. Porquê?

- há quem interprete esta investida permanente como uma forma de o PS capitalizar o voto de quem não se identifica com Cavaco Silva

- um outro ponto de vista é o PS apostar na criação de uma frente de combate contra a “direita”. A perspectiva de que há um complot e que a situação presente é já resultado desse complot.

- Ao colocar Cavaco Silva como adversário político, Pedro Passos Coelho é menosprezado. Fica no palco como figura secundária.

Vamos agora aos pontos fracos desta estratégia:

- está a ser unânime a criação de um governo forte e estável. Um PM que hostiliza um PR não dá garantias de estabilidade.

- outra ideia que se generalizou é a necessidade de diálogo e entendimento entre os vários partidos. Com este discurso crispado e com uma imagem já muito carregada de autoritarismo, é difícil antecipar José Sócrates a participar nesse diálogo. Ou seja, Sócrates pode estar a dar razão a alguns partidos da oposição que afirma que o problema é ele, Sócrates.

31
Mar11

5 de Junho

rgomes

A data das eleições.

Cavaco Silva fez o anúncio, após Conselho de Estado.

Da intervenção de Cavaco Silva três notas:

- na narrativa dos políticos havia a citação de duas crises: politica e económica/financeira. Cavaco juntou a crise social.

- O PR solidário com o Governo sobre a eventual necessidade de se pedir ajuda externa. A frase foi proferida depois do ministro da Presidência ter afirmado que "Governo de gestão não pode avançar com pedido de ajuda externa" - Público 

- "as eleições devem permitir alcançar um compromisso estratégico de médio prazo e que resulte num alargado consenso político e social”. Dificilmente Cavaco Silva dará posse a um governo minoritário (o que poderá excluir à partida um executivo liderado por José Sócrates já que os partidos da oposição dizem que se recusam a coligar com o actual lider do PS).

 

22
Mar11

Outdoors

rgomes

Em tempos de crise os sinais de austeridade são relevantes na comunicação política.

Nas presidenciais  de Janeiro Cavaco Silva anunciou no discurso de candidatura que se recusava a utilizar outdoors.

Agora, os partidos vão ter o mesmo critério?

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D